sábado, maio 06, 2006

O tempo que ainda nos resta


O tempo é uma criação macabra
Um controlador cruel
Que a cada batida lembra-nos
Que o fim está mais próximo.

E o que se pode fazer?
Pode-se parar o tempo?
Ou poderia-se prolonga-lo?

O tempo corre contra o tempo
E os desejos vão envelhecendo
E os sonhos vão se perdendo
E o tempo?
Continua assim, senhor das decisões.

Tens ainda tempo?
Para fazer o que sempre quis?
E para fazeres o que queres agora?
Ainda há tempo....
Tempo....

Patrícia Prado

Um comentário:

Josemir disse...

Os tempos de tempo, quanto tempo!!! Não temos tempo para o tempo, é no vai e vem dos tempos, que o tempo fica para outros tempos. Tempos bons... dias e noites que se confindiam entre as brisas. Valeu a arte do poema dos tempos, Parabéns e saudações.