terça-feira, maio 25, 2010

Quando o homem e uma mulher com significativas afinidades espirituais e psicológicas se encontram e se apaixonam um pelo outro, se eles já dominaram a ansiedade que os problemas e as dificuldades pessoais provocam e ultrapassaram o nível de simplesmente lutar para fazer seu relacionamento "funcionar", o amor romântico proporciona-lhes então não apenas a felicidade sexual e emocional, mas também os ajuda a atingir níveis mais elevados de crescimento pessoal. Ele torna-se o contexto para um contínuo encontro com o self, o si-mesmo, através do processo de interação com outro self. Duas consciências, cada uma dedicada à sua evolução pessoal, podem proporcionar, uma à outra, um extraordinário estímulo e desafio. O êxtase pode, então, tornar-se parte de sua vida. O amor romântico não é um mito que deve ser rejeitado, pois, para a maioria de nós, é uma revelação que ainda aguarda sua hora de nascer.
Nathaniel Branden

2 comentários:

Águas Escuras disse...

Quando crescemos deixamos as coisas de crianças
passamos a sentir a vida com mais dor
mas não seria melhor de outra forma?
como uma criança, viver e ser feliz sem se preocupar com as consequencias?
Quero ser criança, para viver a vida
de forma intensa, sem perder cada momento.

Londo o texto, sera que fala sobre o que?

Anônimo disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.